Sobre correr riscos e o marketing

Por isso é fundamental conhecer o cliente. Conhecer o que é valor para ele, o que é considerado vantagem para ele. Isso é o que importa. Não adianta você vender algo e querer acrescentar um serviço que para o cliente não tem valor percebido.

Peter Drucker dizia que no universo empresarial existem dois grandes riscos: “o que você não pode correr jamais e o que você não pode deixar de correr”.

É importante manter estes riscos em seu radar para guiar sua jornada e estabelecer prioridades.

Quando nos voltamos para o marketing, um dos riscos que você não pode deixar de correr é fazer algo a mais pela satisfação de seu cliente. Isso sempre vale a pena. Não tem nada melhor que um cliente satisfeito para fazer valer seu dia!

Já em relação aos riscos que você não pode correr jamais, estes também estão relacionados ao cliente. Se você tem uma decisão para tomar e surge alguma dúvida sobre o impacto positivo dela em relação à percepção de seu cliente, sobre a qualidade ou o nível de satisfação dele, é melhor que não corra este risco.

Empreender é lidar com riscos o tempo todo, mas quando nos voltamos para o cliente, isso não pode atrapalhar a percepção dele sobre o serviço ou produto que você oferece.

Por isso é fundamental conhecer o cliente. Conhecer o que é valor para ele, o que é considerado vantagem para ele. Isso é o que importa. Não adianta você vender algo e querer acrescentar um serviço que para o cliente não tem valor percebido.

Você consegue conhecer melhor seu cliente conversando com ele, estudando sobre o mercado de atuação dele, sobre os concorrentes, conversando com a equipe dele, enfim, fazendo a lição de casa.

Se você conhecer profundamente o seu cliente, os riscos que você não pode deixar de correr se tornarão cada vez mais evidentes, pode ter certeza!

Texto publicado originalmente no Linkedin.

Deixar uma resposta

EnglishPortugueseSpanish